Será que estamos chegando ao final da greve dos professores universitários? Um desabafo comedido…

Pois bem, estamos chegando aos 110 dias da greve dos docentes das universidades públicas. Com certeza será extrapolado o período de 115 ou 120 dias. Além de ser a greve com mais força e adesão da história do movimento docente, também poderá alcançar o maior período de paralização dos docentes das universidades públicas.

Mas a questão continua: será que estamos chegando ao final da greve dos professores universitários? Ao que parece ainda é uma grande dúvida, mas que já aponta caminhos. O Comando Nacional de Greve dos docentes do ANDES, deliberou no domingo (02/09) encaminhamentos para que sejam avaliadas pelas assembléias locais. A pauta destas serão a continuidade da greve e possibilidades para uma saída unificada (nacionalmente) da greve, ou seja, mesmo que a maioria das assembléias votem por uma retirada programada da greve, ainda ficaremos ao menos, mais uns 10 ou 15 dias.

Retorno ou não, a UFRJ encerrou a greve, foi a única da base do ANDES que retornou (de um total de 53), mas a mídia, parte expressiva dos alunos e um bando de professores comemoraram, Brasil a fora, como se fosse final da copa do mundo. Para mim, isto só demonstra a ausência total e completa da CAPACIDADE de realizar uma análise, diria profunda, mas tenho certeza de que é superficial e rasa do que esta posto na mesa, ou seja, do que estamos realmente discutindo nesta greve.

Uma coisa é fato: esta greve só não conseguiu, ainda, avançar nas pautas de reivindicação, por um único e exclusivo motivo – A GRANDE MASSA DE PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS DESTE PAÍS não vão as ruas, não participam das assembléias e tem OJERIZA a participar de qualquer processo social que altere o status quo de seus reinados estabelecidos nas suas salas de aula e gabinetes.

O que é pior de tudo isto, é que no segundo dia após o final da greve, teremos estes mesmo professores/as reclamando do salário, das condições de trabalho, do produtivismo, do stress, da infra estrutura das universidades, da falta de recursos para pesquisa, da sobrecarga de trabalho, bla bla bla…..

Até quanto este país irá reforçar e reproduzir a IDEOLOGIA reinante desta ELITE intelectual?

3 thoughts on “Será que estamos chegando ao final da greve dos professores universitários? Um desabafo comedido…

  1. Cleiry Carvalho diz:

    Caro André. posso provar que fui para passeatas públicas, para aulas públicas em praças, para auditória pública no senado, para vigília, para o fechamento da BR e muito mais🙂 — não faço parte dos professores que só reclamam, eu luto para que as minhas “reclamações!” sejam ouvidas para além das paredes de uma sala de aula. Mas, é claro que você tem razão em muitos aspectos… Faço parte de uma minoria de professores… mas tenho parceiros que lutam com a mesma intensidade.

    • michelato diz:

      Cleiry, por este motivo disse que a GRANDE MASSA não faz, não quer fazer. Imagine, somos quase 130 mil professores, imagina se tivessemos 80 mil ocupando as ruas e espaços públicos no período de greve? acho que esse número de 80 mil nem se quer deve ter parado suas aulas, pesquisas e atividades acadêmicas…

      • Cleiry Carvalho diz:

        Aqui em Goiânia quando conseguimos levar 30 professores para uma atividade de greve já nos damos por vitoriosos… e eu concordo com você… até reproduzi na minha página no FB.

        A minoria somos nós que estamos lutando para muda a Educação… Saudações!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s