Mensalão!!? o que? Mensalão? a tá…

Não quis, não quero e não tenho vontade futura de querer falar, ouvir, debater sobre o mensalão. No entanto, porém, todavia os críticos plantonistas da mídia, a esquerdalha e a direitosa endireitada estão de prontidão para ficar lembrando, relembrando e trazendo à memória esse julgamento, que mais me lembra um enforcamento em praça pública.

Parece que ao final deste julgamento o Brasil estará limpo e fora da ação do lixo corrupto que habita cada metro quadrado deste país.

Parece que todos esqueceram o que representou a ditadura militar no que se refere a roubalheira e a mão grande no tempo em que nem licitação e concurso público havia.

Parece que o Brasil esqueceu o que foi o governo do FHC, principalmente na compra dos votos dos parlamentares para dobrar o mandato e nas privatizações.

Parece que o Brasil se esquece das centenas e centenas de milhares de vereadores e prefeitos corruptos, que dioturnamente arquitetam formas e jeitos para abocanhar o dinheiro dos impostos.

Parece que o povo brasileiro esqueceu dos empresários e executivos, que livres de prestar contas abertamente a sociedade, mandam e desmandam sobre o não recolhimento dos impostos, as licitações e bla bla bla…

Por isso e por outros motivos, quero mais é que julgamentos como o do mensalão ocorram diariamente e que não haja nada de EXCEPCIONAL em um julamento como este, porque temos muito o que julgar e punir ainda.

Mas digo, espantoso é isso tudo acontecer da forma como acontece…

Anúncios

PT Privatista e NeoLiberal ressurge das catapultas da tucanagem

Por André Michelato

Segundo matéria d’O GLOBO, o Governo Dilma, “em um esforço que superou as previsões mais ousadas da iniciativa privada, anunciou ontem o que chamou de o maior plano de investimentos em transportes da história, envolvendo a concessão de ferrovias e rodovias à iniciativa privada.”

Este Programa de Investimentos em Logística prevê investimentos de R$ 133 bilhões até 2037. Isto mesmo, até 2037!!!

Dilma, a Chefona, chama isso de concessão, mas o que dizer de uma concessão de mais de 25 anos? É o mesmo caso que ocorreu nas rodovias no Estado do Paraná, quando Jâime Lerner (o mafioso) as privatizou, quer dizer, desculpe-me, fez a concessão. Mas é que na época, a PTzada (que até então me dizia um deles) destroçou e se rebelou agressivamente contra tal atitude.

Pois bem, mas em menos de 15 anos depois, o PT é elogiado pelo PSDB, em função da grandiosa atitude de PRIVATIZAR os caminhos de ir e vir do povo brasileiro.

Ainda tem mais, segundo informações palacianas, o governo exigirá dos vencedores da privataria que invistam R$ 79,5 bilhões nos próximos cinco anos. Alguém aí sabe me dizer de onde virá esse dinheiro? não, como não?!! A resposta deveria ser automática e imediata: dos caixas do governo, dos nossos impostos, via BNDES.

Mas não acaba por ai: a matéria do jornal O GLOBO ainda chama atenção para o fato de que “o anúncio do programa foi feito pela presidente Dilma Rousseff para empresários que movimentam boa parte do PIB do país.” Bom, alguns pensariam, mas porque para esses caras? é simples, eles são os principais FINACIADORES DE CAMPANHA no Brasil. Capiche?

É mais uma forma de repetir, copiar, reproduzir o que os partidões a mando do capital fazem: liberam dinheiro e se perpetuam no poder até que os chefões da máfia brasileira os queiram.

A fórmula é simples, mas a conta é cara.

Universidades se armam contra o plágio

Matéria publicada na Gazeta do Povo – dia 30/07/2012

As universidades estão cada vez mais atentas para inibir a prática do plágio em monografias, dissertações e teses – um problema que compromete a imagem do pesquisador e da instituição por ter aceitado um trabalho acadêmico que não é inédito. Entre as punições adotadas quando a cópia é comprovada estão a anulação do trabalho, a suspensão do estudante ou até a sua expulsão. Sem falar na possibilidade de o aluno ter de responder a acusações na Justiça por quebra de direitos autorais.

As formas mais comuns adotadas pelos professores para identificar o plágio são o uso de ferramentas de busca na internet e de programas de computador que têm essa finalidade específica. Entre os adeptos desses recursos estão docentes do FAE Cento Universitário e das universidades Positivo (UP), Federal (UFPR), Católica (PUCPR) e Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Entretanto, não é exagero dizer que no Centro Universitário Curitiba funciona um verdadeiro esquadrão antiplágio. Assim que a monografia é entregue ao setor responsável, ela é submetida a um software desenvolvido por um professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – na modalidade “rigorosa”. Depois disso, três funcionários estão escalados para fazer a verificação manual – uma pesquisa dos trabalhos em sites de busca na internet.

“Quando trechos suspeitos são encontrados, imprimimos e entregamos direto para o orientador do trabalho, que é quem decide se é caso de erro de formatação ou de plágio”, explica Eloete Camilli Oliveira, supervisora de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). E isso não é feito às escondidas. Antes de cada semestre, todos os alunos ficam sabendo dos procedimentos adotados.

Verificador

Nas aulas de Metodologia da professora Faimara do Rocio Strauhs, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), os próprios alunos podem passar seus trabalhos pelo software Farejador de Plágio (FDP). “É suficiente, é barato e é ligado à internet. A base de dados é atualizada quando se coloca on-line”, conta.

Faimara diz que os alunos se interessam em usar o programa, mas não deixam de brincar com a sigla dele. “Alguns chamam [o programa] de outras palavras que têm as mesmas iniciais e já ouvi até falarem que está sendo desenvolvido um programa que possa anular o verificador de plágio. A verdade é que, depois que passamos a usar o antiplágio, esses casos diminuíram em 80%”, revela.

Depois que foram noticiados os investimentos de quatro universidades cariocas em ações antiplágio – duas instituições adquiriram softwares com esse intuito, outra criou um departamento voltado à investigação dos casos e a quarta elaborou uma cartilha informativa –, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) também resolveu fechar o cerco a quem não entrega trabalhos com conteúdo original.

“Já temos um programa de livre acesso, mas ele é limitado. Só compara textos quando os dois estão na internet. Agora estamos na fase de escolha de um novo software e devemos entrar em contato com a UFRJ para saber qual é a melhor opção no mercado”, conta Rozangela Curi Pedrosa, diretora do Departamento de Inovação Tecnológica, que investiga, por ano, pelo menos quatro casos de denúncia de plágio oficializados na universidade catarinense.

Combinação explosiva

O plágio em si não é novidade em trabalhos científicos, contudo, a prática ganhou força com o avanço da internet e também com a própria característica dos estudantes. De acordo com o professor de Políticas Públicas do FAE Centro Universitário Dennys Robson Girardi, a combinação entre o perfil da geração Y e a infinidade de informações da internet impulsionou o crescimento do plágio. “Eles [alunos] querem facilidade e resolução rápida e a internet tem muitos sites que vendem trabalhos prontos. Pela falta de tradição e de experiência em pesquisa, os estudantes acabam com o problema do plágio”, afirma.

Ameaçado, juiz do caso Cachoeira pede afastamento

 

Publicado por Valdecarlos Alves, em 19.06.2012 às 08:15

O juiz federal Paulo Augusto Moreira Lima, responsável pela Operação Monte Carlo, relatou ser alvo de ameaças de morte, disse que homicídios podem ter sido cometidos por integrantes do esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira e pediu para ser tirado do caso.

Em ofício encaminhado no último dia 13 ao corregedor-geral do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, Carlos Olavo, ele afirma não ter mais condições de permanecer no caso por estar em “situação de extrema exposição junto à criminalidade do Estado de Goiás”. E para evitar represálias, disse que deixará o País temporariamente.

No documento ao qual o Estado teve acesso, o juiz relata que segue esquema rígido de segurança por recomendação da Polícia Federal, mas diz que sua família foi recentemente abordada por policiais, que fizeram uma “ameaça velada”. “Minha família, em sua própria residência, foi procurada por policiais que gostariam de conversar a respeito do processo atinente à Operação Monte Carlo, em nítida ameaça velada.” Lima indica que investigados pela Operação Monte Carlo podem estar relacionados a assassinatos cometidos recentemente, o que configuraria queima de arquivo. “Pelo que se tem informação, até o presente momento, há crimes de homicídio provavelmente praticados a mando de réus do processo”, escreveu.

Nas cinco páginas em que explica o pedido para deixar o caso, Lima elenca os recentes processos polêmicos que comandou. Na Monte Carlo, 79 réus foram denunciados, sendo 35 policiais federais, civis e militares. E por ter determinado o afastamento dos policiais de suas funções, afirma que não pôde ser removido para varas no interior do Estado “por não haver condições adequadas de segurança”. Em setembro, Lima afirma que tirará os três meses de férias que teria acumulado e sairá do País por “questões de segurança”.

Marconi Perillo: Vossa Excelência!!!

Esta é para aqueles que tiveram o prazer de assistir ao vivo e a cores, como dizia antigamente, o distinto Marconi Perillo, excelentissimo governador do Estado de Goias, que prestou “depoimento” a CPMI do Cachoeira.

Mais uma vez a CPMI se faz para ser belissimo palanque, de afagos e farpas, eleitoral, sem objetividade, sem considerações legais, um parlatório de bla bla bla egocentrico. Mas tudo bem, para alguma coisa serve, para colocar os grupos num enfrentamento em campo aberto, ou seja, na TV ao Vivo e a Cores.

Mas foi o de sempre, muito teatro, muitas perguntas colocadas na boca para emaranhar criticas a outrem, como também criticas e safanões nesse tal de Perillo, que para quem sabe quem é ou ao menos ouviu falar, sabe exatamente que tipo de pelanca sebosa estamos falando. Pois para quem não sabe, a foto acima, é do nobre governador com a excelentíssima primeira dama na formatura em DIREITO, isto mesmo. Curso este que foi feito em uma turma especial. É, turma especial, em que os únicos alunos era o distinto casal. Que coisaaaaaa….!!!

Afinal, agora vamos para o próximo capítulo, Agnelo Queiroz, o do PT. Agora quero ter o prazer de assistir para poder ver a tropa de choque toda armada e de prontidão para segurar os traques da oposição brasileira (digo isso, pq a oposição esta cada vez mais minguada e raquitica).

Operação Lee Oswald

Que situação e esta? realmente uma materia digna de página policialesca. Pois é, o incacreditável ainda continua acontecendo e acontecerá por muitas gerações…até que o mundo se acabe! amém!
Segue a matéria.

Além do prefeito, seis secretários, procurador, PMs e empresários são presos em operação da PF

Redação Folha Vitória

O superintendente da Polícia Federal no Espírito Santo, Erivelto Leão de Oliveira, reuniu a imprensa na manhã desta quinta-feira (19) para detalhar a operação que prendeu o prefeito de Presidente Kennedy, Reginaldo dos Santos Quinta, do PTB.

Erivelto Leão de Oliveira confirmou que um soldado e um major da Polícia Militar do Espírito Santo estão entre os 28 presos por suspeita de envolvimento no esquema de fraudes em licitações que somariam um desvio de mais de mais R$ 55 milhões em 21 contratos.

“A ação atendeu a uma demanda do Tribunal de Justiça do Espírito Santo e foi focada no município de Presidente Kennedy onde se constatou uma organização criminosa que desviava verbas públicas através de fraudes em licitações. São atos típicos de fraudes de licitação como preços superfaturados, direcionamento de licitação e conluios entre empresários. Eles são chamados para participar daquele grupo e, os empresários que não pertencem àquele grupo são de certa forma, excluídos”, comentou o superintendente da Polícia Federal.

A operação reuniu 230 policiais federais e deixa a prefeitura de Presidente Kennedy sem prefeito, procurador-geral, seis secretários municipais e quatro funcionários da comissão de licitação. A Polícia Federal pediu e o Tribunal de Justiça determinou o afastamento dos quatro integrantes da mesa diretora de Câmara Municipal de Vereadores.

Somente no ano passado, o município de Presidente Kennedy recebeu mais de R$ 98 milhões em royalties. De acordo com a PF, se fosse um estado, o município capixaba ocuparia a sétima colocação em volume de recursos recebidos pela exploração do petróleo.

“É um município rico e com uma população carente em alguns aspectos de serviços públicos, então, algo que também chama a atenção é a quantidade de contrastes”, disse Erivelto Leão de Oliveira.

A ação da Polícia Federal

A movimentação dos agentes começou cedo para o cumprimento de 79 mandados judiciais, sendo 51 de busca e apreensão, além de 13 mandados de prisões preventivas e 15 de prisões temporárias.

Em Vitória, nos bairros Jardim Camburi e Jardim da Penha, policiais realizaram apreensões de computadores e documentos e prenderam dois suspeitos de participação na organização criminosa responsável por fraudes em licitações, superfaturamentos, desvio de verbas, além de pagamentos indevidos em contratos de serviços e compra de materiais.

Investigações

De acordo com informações da Polícia Federal, as investigações foram iniciadas há seis meses e constataram que o líder da quadrilha era o prefeito do município de Presidente Kennedy, no litoral Sul do Espírito Santo.

A quadrilha, de acordo a denúncia, era formada pela sobrinha do prefeito, que acumulava a chefia de três secretarias municipais. Além dela, o Procurador Geral do Município, integrantes da comissão de licitação, empresários e dois policiais militares, sendo um deles o Comandante da Guarda Municipal, também são acusados pelo MPES de participarem da quadrilha. Um membro da executiva estadual do partido político do prefeito também participava do esquema criminoso.

As investigações apuraram que a grande quantidade de recursos municipais era desviada para os membros da quadrilha. As licitações eram montadas a partir de editais que restringiam a concorrência e eram direcionadas para grupos econômicos previamente escolhidos que simulavam legalidade do processo. Foi identificado pelas investigações que, até o momento, o desvio é de cerca de R$ 50 milhões.

Os envolvidos poderão responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, advocacia administrativa, prevaricação, peculato, falsidade ideológica, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, além de crimes específicos previsto na lei de licitações.

O município

Folha Vitória

Presidente Kennedy é a cidade campeã de créditos em royalties do Espírito Santo, com quase 20 % de todo o valor recebido. Isso permite que o PIB percapita alcance padrões superiores aos de países desenvolvidos.

Mas, em contrapartida, o município é o lanterna do ranking educacional no Estado e apresenta o quarto pior índice de desenvolvimento humano entre as cidades capixabas, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PUND).

Nome da operação

Lee Oswald foi considerado responsável pelo assassinato do presidente norte americano John Kennedy. A ação policial desta quinta-feira possibilita o fim de desvio de recursos públicos na cidade

Puxadinho no Aeroporto de Vitória – capitulo 3.675.321

Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o aeroporto de Vitória/ES é o mais superlotado do país, operando com demanda 472% maior que a capacidade.

Isso mesmo, 472% acima da capacidade, quem já passou pelo aeroporto Eurico Aguiar Salles, sabe exatamente o que isto representa. Filas gigantescas, aviões que ficam circulando no céu capixaba para esperar liberar espaço na área de desembarque, e tantos outros problemas, além da super pista de terra que existe no aeroporto (veja na foto acima a dimensão das pistas de terra em comparação com a minuscula pista que esta em funcionamento atualmente).

Mas porquê, alguns perguntariam? Por que tem muita gente indo para terras capixabas? Por que tem muitos empresários indo para o ES? Por que a renda cresceu muito? Não meus caros. É apenas um efeito da normoze brasileira: corrupção! uma doença crônica da terra brasilis e que no Espirito Santo, tem nome, sobrenome e capitão de equipe.

Porém, contudo, todavia, na grande maioria dos aeroportos das capitais brasileiras, a superlotação existe, no entanto, estes já passaram da fase dos prédios antigos e pistas minúsculas, já estão indo para um segundo ou terceiro momento de ampliação e modernização. Já aqui, no ES, digamos que estamos nos aproximando, se colocarmos em questão de tempo-espaço real, ao final da década de 80, talvez 70. E por quê? A explicação é simples: junte um grupo de politicos e um grupo de empreiteiros e você pode imaginar no que deu!

Mais de 10 anos de construção de uma pista moderna que nunca saiu de uma pista de terra, e que o processo ainda esta na justiça, provalvelmente servindo como peso de papel.

Quem serão os culpados? É o que estão por decidir para poder liberar novamente as obras, que desta vez, parece que será realizada pelo exército brasileiro. Será que os milicos são honestos? Será?

Mas tem mais, os novos puxadinhos (novos prédios para embarque e desembarque), que era para estar prontos em outubro de 2011, passou para março de 2012, e agora será contratada uma nova empreiteira, pois a anterior largou a obra. Uhm, mas que odisséia. Será isso resultado de um conjunto de acasos?

O Governador Renato CasaGrande e Senzala, irá dia 18 de abril para brasilia com o objetivo de conversar com o Vice-Presidente da República, Michel Temer, para tentar, pela centésima milhionésima vez, desobstruir este lamaçal inexplicável de matéria orgânica putrefata que está sendo produzida nas pistas do eurico salles.

E daí? Quem paga essa conta?