O jeito Mujica de Ser: discurso na Rio+20

Anúncios

Rio +20…+30…+40…+50

No período de 13 a 22 de junho estará acontecendo a RIO +20 e paralelamente a Cúpula dos Povos, comparativamente, é como se fosse o Fórum Econômico Mundial e como evento paralelo o Fórum Social Mundial, no entanto, a Rio +20 tem como tema gerador o desenvolvimento sutentável (e o que será sustentável??? rs).

Primeiramente, vamos analisar a Rio +20 do ponto de vista dos avanços que ela tem e poder gerar. Apenas por existir, a Rio+20 já tem pautado a mídia, as escolas, as universidades, os governos, as empresas, enfim, a opinião pública e os mais diversos segmentos da sociedade ficam imersos neste debate sobre o meio ambiente, o consumo, as cidades, etc etc etc. Outra questão importante é a carta que a Rio+20 irá publicizar das posições formais dos paises membros sobre as ações e perspectivas para os acordos multilaterais sobre o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável do mundo. Uma terceira questão, é a criação do espaço Rio+20/Cúpula dos povos, que permite o encontro de governos, organizações não governamentais e movimentos sociais. Como resultado dessas questões, é a formalização do debate sobre o meio ambiente, mas também a contribuição efetiva para avançar com políticas públicas e, principalmente, na formação política de jovens e, consequentemente, de uma nova geração que poderá ser mais e mais preocupada com as questões ambientais.

Porém, contudo, todavia, a Rio+20, esta acorrendo 20 anos após a Rio-92. Ou seja, 20 anos após a primeira conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável, no entanto, nestes últimos 20 anos o mundo tem consumido mais, poluído mais, tem sido cada vez mais insustentável ambientalmente, onde as experiências sustentáveis, são raras excessões a regra hegemônica do desenvolvimento econômico mundial, onde a monocultura, a industrialização, a urbanização, ou seja, o processo de racionalização da sociedade tem efetivamente impulsionado o processo de desenvolvimento para um lugar muito bem conhecido: a extinção da natureza.

Assim, a RIO+20 passa a ser muito mais um espaço de encontro de um FAZ DE CONTA que cria um simbolismo de que a sociedade esta participando do processo de melhoria das condições de sustentabilidade do mundo, mas que de outro lado, bancos e fundos públicos financiam largamente, amplamente e hegemonicamente, a indústria, a urbanização e o processo de inclusão econômica como questão central para o desenvolvimento da sociedade moderna.

Agora, é esperar a Rio +30, +40, +50…até que possamos ter, sei lá…a Rio+1 Século….sinceramente, quero acreditar que este jogo de faz de conta possa ter mais um século, porque é dificil crer que teremos mais de um século de vida do planeta com este modelo de desenvolvimento econômico.